SISTEMA ABS PARA MOTOS. TESTES COMPLETOS




FREIOS, SISTEMA ABS PARA MOTOS

Freios, sistema ABS motos. Para os amante das motos essa paixão, essa forte e inexplicável força que nos faz interromper uma conversa após encontrar-mos um amigo(a) na rua, para ter o trabalho de olhar para trás com o intuito de saber qual é a maquina que vem criando aquele som de aceleração e desaceleração maravilhoso, chamando a atenção de quem sabe apreciar esse hobby magnifico, fazendo-nos acompanhar a sua passagem com o nosso olhar atento seguido de um silencio, respeito e admiração, evidentemente quando se trata de uma “bomba”, e depois da sua passagem deixar aquela velha exclamação, linda maquina!



É para vocês amigos e motards é que crio esse artigo referente ao sistema de freios que actualmente vem equipando algumas dessas maravilhosas maquinas. O ABS ( Ant block sistem) sistema esse que é olhado com uma certa desconfiança por alguns que não aceitam a ideia de ter a sua segurança entregue de forma tão dependente a um sistema que evita o bloqueio da roda e  mantém a moto em movimento em situações em que preferencialmente não pretendíamos.

Se nunca aconteceu com o meu caro leitor em determinado momento sentir o perigo surgir e instintivamente accionar o sistema de travões da sua maquina causando um bloqueio da roda e consequentemente a queda, principalmente naquelas situações em que olhamos para o chão e detectamos aquele tapete extenso de areia que inevitavelmente não tornará fácil a nossa intenção de parar a moto, bloqueando de forma inevitável a roda e estragando a pele da nossa linda menina. Para evitar esses tipos de situações é que foi criado esse sistema que há muito já está sendo usado nos automóveis comprovando a sua enorme eficácia.

http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br
BMW S 1000RR

Para aqueles que não aceitavam de bom grado a ideia desse sistema nas motos desportivas acreditando que fosse comprometer as suas prestações em termos competitivo, em 19 de Setembro de 2010 o sistema ABS provou a sua enorme eficacia no campo do desporto, levando a vitoria no campeonato IDM ( Campeonato alemão de superbike) o piloto Karl Muggeridge pilotando uma CBR1000RR equipada com o ABS.

http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br
Karl Muggeridge  Fireblade

Foi efectuado pelos nossos colegas europeus um teste para medir a capacidade e eficacia desse sistema em varias situações como por exemplo, travagens em estradas com piso seco, piso molhado, piso com areia e estradas com o piso simplesmente degradado, um teste muito bem definido e obtendo varios resultados evidentemente derivado as diferenças de piso.

http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br
Suzuki 1250 Bandit

Na área das custom foi usada uma Harlley-Davidson, a magnifica Night Rod, para a categoria das turísticas de grande cilindrada foi a nossa conhecida japonesa a Kawasaki 1400 GTR, nas maxi-trail foi eleita a Yamaha XT 1200 Super Tenéré e a companheira BMW R 1200F, nas motos polivalentes a clássica Suzuki 1250 e na posição das superdesportivas as impecáveis Honda Fireblade e a BMW S 1000 RR, evidentemente todas essas maquinas citadas equipadas com o sistema ABS.

http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br
Harley-Davdson Night Rod
http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br
Kawasaki  1400 GTR

Com relação a esse teste fica uma pergunta da qual no fim  pretendemos ter uma resposta definitiva que trata-se em saber qual o comportamento dessas motos em travagens bruscas buscando diminuir ao máximo a zona de travagens. Qual o comportamento da moto nesse momento? Com funciona o ABS com a moto inclinada? Se o sistema tem a mesma eficácia relativo a moto na posição vertical e qual será o futuro desse sistema no mundo das motos?

http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br

Sabemos que haverá fortes diferenças na atuação do sistema ABS nas motos de diferentes categorias como por exemplo as desportivas . A centralina irá calcular através da desaceleração e derrapagem de ambas as rodas, se a traseira está a levantar, e diminuirá a pressão de  travagem, evitando esse comportamento típico das motos desportivas. Com relação as custom por serem motos compridas e de maior distancias entre eixos tal sintoma não se apresentará com tanta facilidade.

Piso seco

O teste foi efectuado a uma velocidade de 100km/h em que as desportivas com as susa famosas capacidades de levantar a roda traseira, precisou de 41,5 metros para conseguir interromper por completo o seu movimento. Devo salientar que as desportivas possuem um sistema de ABS que possibilita vários tipos de situações como por exemplo; Chuva, Sport e Race, no qual o sistema predefinido para esse texte foi o Sport para ambas as motos.

As motos que surpreenderam nos resultados necessitando de uma menor distancia de travagem foi a, Harley-Davidson, Suzuki bandit e a BMW R 1220GS com apenas 39,8 metros.

O verdadeiro pesadelo “ Areia “

Agora elas serão submetidas a uma situação das mais complicadas. Haverá a nossa espera 3 faixas de areia de 1 metro e meio a cada 3 metros de distancia, sem dúvida em uma condução normal representaria uma inevitável queda.

A magnifica fireblade conseguiu nessa situação simplesmente aterradora, parar a moto em total segurança a uma distancia de 47 metros.

Em 2º lugar ficou a VFR e a BMW 1200 GS que precisou de mais 1,20m.

Quanto a Suzuki que foi uma revelação em piso seco ficou com 49,5 metros o mesmo que a Tenéré.

Piso degradado

Nesse terreno extremamente degradado contando com as ondulações com cerca de 5cm de desníveis, quem obteve melhor resultado foi a BMW S 1000RR parando em 52,8 metros. As restantes encontraram-se em distancias respeitáveis com excepção da Fireblade que pediu um pouco mais de piso para efectuar a sua imobilização, 65,4 metros.

Piso molhado

Em piso molhado a BMW S 1000RR mais uma vez entre as desportivas tenhe uma excelente prestação necessitando de 48,8 metros para imobilizar-se.

Conclusão

Vários teste e resultados revelarão a BMW S 1000RR um excelente comportamento em piso de mau estado e molhado, e deixa claro que a afinação do sistema ABS para cada tipo de moto é algo bem mais complicado podendo umas terem resultados superiores as outras derivado ao piso em que circulam, portanto tudo será uma questão de escolha. O importante é reduzir ao máximo o ponto de travagens e esse trabalho o ABS provou sem sombras de dúvida as suas capacidades.

ABS travagens em curvas

Agora a dúvida que resta é relativo ao comportamento do ABS em travagens dentro de curvas, se há o risco de bloqueio e acabarmos por sentir a temperatura do asfalto ao nos esticarmos nele. Portanto Para tirar essa dúvida foi colocado na pista uma VFR 1200 R a uma velocidade de 50km/h obedecendo um grau de inclinação de 30 a 35º graus orientado por um aparelho colocado sobre o deposito. Em linha reta a 50km/h travando a fundo a VFR precisou de 10,4 metros para imobilizar-se.

A VFR foi colocada a um ângulo de 30º graus de inclinação a um velocidade de 50km/h e efetuada uma travagem a fundo. O que acham? A moto reage de forma impecável efectuando uma travagem a uma distancia de 10,6 metros sem nenhum problema. Voltamos ao teste só que dessa vez com um ângulo de 35ª graus e a distancia necessária foi de 12,7 metros. O resultado de tudo isso é que ficou provado em todos os teste que em  nenhum momento a roda bloqueou o que inevitavelmente causaria uma queda. Isso só comprova que o sistema funciona também em perfeita ordem com a moto inclinada oferecendo muito mais segurança e evitando um possível bloqueio da roda.

Sem sombras de dúvidas um resultado simplesmente magnifico trazendo para nós motards mais segurança na nossa condução diminuindo os riscos inerentes as inevitáveis situações desagradáveis que surgem em nossa frente. Agora creio que já não há nenhuma dúvida quanto a necessidade imperativa do sistema ABS nas motos. Há na Europa por parte dos governos a intenção de exigir em todas as motos acima da 500 cilindradas o uso obrigatório do sistema ABS, se é para a segurança de todos estamos em total acordo, pelo menos eu! Um abraço a todos e boas curvas!

Anildo Motta

Yamaha XT 1200

Yamaha XT 1200

Contribua coma a divulgação desse artigo.

Share

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *