MOTOS. O PORQUER DESSA PAIXÃO?

A paixão pelas motos




É impressionante a capacidade que uma maquina movida a combustão com apenas duas rodas, consiga exercer sobre uma pessoa uma atracão tão forte. Uma necessidade interior que as vezes chega a parecer doentia.

Já tive algumas situações que cheguei a interrogar-me se era normal tal paixão e tal necessidade por essa magnifica invenção. A simples atitude de estarmos em um determinado lugar e de repente ouvimos o estonteante e sonoro barulho de uma moto a passar, instintivamente saltamos para admirar-la e avalia-la tirando as nossas dúvida quanto a marca e cilindrada.

Esse tipo de atracão louca e apaixonante existe em varias outras áreas desportivas, recordo-me de um alpinista que já havia escalado diversos montes e passado por várias situações de perigo, inclusive já havia perdido os dedos dos pés em uma escalada ao monte Evereste em que as coisas correram mal. Sabendo- se que quando se encontram acima dos 7000 metros o perigo é permanente possibilitando derivado ao frio e o ar rarefeito a perda de orientação e sem falar no grande desgaste físico. A desorientação é tão grande que uma pessoa pode simplesmente sentar para descansar, dormir e morrer com uma hipotermia. Sabendo-se de todo esse perigo, não resiste e não consegui explicar a violenta emoção que o domina quando está praticando o seu desporto favorito mesmo diante de todo risco.


http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br

Muitos portugueses não dispensam o vinho por nada, nem mesmo numa concentração motard.

As motos são semelhantes. Embora infelizmente as vezes presenciamos diversos noticiarios referentes a graves acidentes de motos, isso não nos impede de viver dentro deste mundo maravilhoso. As vezes me pergunto se toda a paixão não está relacionada a adrenalina criada quando estamos acelerando sentido o potente motor respondendo sem exitar, mergulhando em curvas, ouvindo o poisa pés arrastando no chão e o protector dos joelhos riscando o asfalto, e ao sair da curva apertar a embraiagem, acelerar fundo, solta-la de repente e sentir a frente da moto levantar-se seguindo de um ronco infernal dos escapes e instintivamente controlar esse raiva demolidora da maquina com um simples toque no travão traseiros, conseguindo assim fazer com que ela mantenha um ângulo de inclinação equilibrado para que possamos conduzi-la só com a roda trazeira. Para muitos isso pode ser loucura, mais para quem gosta de adrenalina esses momentos nos fazem sentir um controle não só da maquina como também da nossa vida.


http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br

O mundo das motos facilitam a convivência humana. Os motards não são apenas pessoas que gostam de motos e sim uma  “Verdadeira legião”.

Superar a barreira dos 300km/h de forma tão natural como se nada se passa-se é o que fazemos com essas motos. Sentir-nos como se estivesse-mos entrando em um túnel do tempo e quanto mais aceleramos mais vontade temos , e vamos até onde a recta nos permita. Acima dos 300km/h em cada segundo já percorremos 85 metros, é sem dúvida um momento de prazer acessível a muitos poucos mortais.

Quantos de vocês que possuem ou já possuíram motos, foram dormir desejando que o amanhã chegasse para poder sentir o poder da sua maquina. Quantos de vocês antes de irem dormir foram dar uma última olhada nela para ver se estava tudo bem, e depois não resistia a apanhar aquela flanelinha que você comprou só para ela e tirar aquela poeirinha indesejável que estava no tanque.

http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br

É fantástica a forma com que ela nos hipnotiza. Moro em Portugal e todos os anos costumo ir a um salão de motos que é realizado no período do inverno. Durante um bom período além da moto também tinha um carro na garagem. Quando ia para o salão nesse período chovia baldes de agua, o inverno em Portugal costuma ser rigoroso, o problema é que não é só a chuva, também temos como companhia temperaturas baixissimas, é um frio de lascar. Mesmo assim o carro ficava na garagem e eu ia em cima da minha maquina, acelerando e abrindo caminho entre a chuva e o frio como se nada se passase.

Temos excelentes equipamentos para motards na Europa, desde casacos grossos e com excelentes protecções, como botas, luvas para encarar qualquer chuva, e também o que aqui chamamos de impermeável que são macacões em plástico grossos com proteções e fabricado exclusivamente para os motards, equipamento esse que usamos por cima do casaco. Isso sem falar em protecções para os joelhos, deslizadores e passa montanha, que são aquelas mascaras que vocês costumam ver nos filme em que os assaltantes de bancos usam. Não lembro-me se no Brasil a expressão é a mesma. Percebeu?

http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br

Observe o carinho desse motard pela sua menina, não permitiu que ela apanhasse sol e a colocou do seu lado sobre a proteção do guarda sol.

Ou seja proteção é fundamental, e quando nos encontramos equipado desse jeito, a sensação é de poder absoluto, que venha a chuva, vento, frio e seja o que for. Vale apena frisar que mesmo com toda essa protenção chega altura do inverno em que o frio nos apanha de qualquer maneira e o que costumamos
fazer quando a coisa está feia é encher o casaco com folhar de jornais que é uma excelente isolante térmico, isso sem falar nas luvas plásticas usadas nos postos de gasolina para abasteceros os carros. Colocamo-las por baixo da luva de couro. Que venha o mal tempo!

As vezes chegava a determinados locais em que o frio era tanto que até gemia-mos. Recordo-me quando fui com uma amigo a Serra da Estrela que é a a parte mais alta e fria de Portugal. A ventania era enorme e provocava uma baixa muito forte na temperatura, a neve que caia era incessante e não conseguíamos andar com as viseiras fechadas devido a falta de visibilidade causada pela forte nevasca. Era impossível, as viseira tinham que permanecer abertas levando com frio e neve no rosto e mal conseguíamos abrir os olhos. As minhas sobrancelhas estavam congeladas, o meu rosto estava completamente anestesiado, quando paramos eu tocava no nariz e não o sentia, apertava a orelha como se fosse arranca-la e não sentia dor nenhuma, o meu colega possuía barbas que estavam coberta de neve, o frio era realmente fustigante.

http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br
As mulheres também compartilham dessa paixão. Essa está dando um pequeno banho na sua amiguinha mesmo sabendo que passado meia hora estará coberta de pó derivado a festa.

A minha moto possuía um escape enorme em titânio e como vocês sabem, o titânio apanha temperaturas altíssimas, eu costumava parar a moto para abraçar o escape para poder mim aquecer, aquilo era de louco. E tudo isso em virtude da paixão pelas motos que tornava todos esses momentos admiráveis e mágicos. Ao mesmo tempo que gemia-mos de frio, sorriamos o tempo inteiro com toda aquela loucura. Acreditem, é uma aventura inesquecível  e que sempre voltei a repetir com os colegas mesmo sabendo que ia ser doloroso.

Em Espanha os loucos dos espanhóis realizam uma concentração durante o inverno que é uma coisa de doidos. O nome da concentração é “ Los Pinguinos ” ou seja, Pinguins. É um verdadeiro inferno gelado. As barracas são montadas por cima de pura e gélida neve, passamos todos os dia colados a uma fogueira bebendo vinho para aquecer, diversão é o que não falta, e frio também. Mais digo-te uma coisa, “é um frio de lascar”. Quando estamos enfiado a noite nos nossos sacos camas fabricados exclusivamente para temperaturas baixas, evitamos durante o sono mudar de posição, porque ao fazer isso saímos da parte que já estava quente e passamos para a outra parte que está gelada, portanto o segredo e movesse sempre sobre o mesmo espaço. No entanto o sofrimento nos passa ao lado quando estamos com as nossas barulhentas amigas.

Eu e minha amiga pronta para viagemhttp://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br

É incrível como essa paixão nos leva a passar situações em que de outra forma nós nunca passariamos. As motos nos leva a procurar aventuras a desafiar o tempo e espaço e a provar para nos mesmo que a felicidade existe e é está em cima de uma moto. Liberdade e paixão é o ingrediente indispensável para a felicidade.

Estou escrevendo essa matéria e olhando para a minha tenda e o saco cama que já estão preparados para viagem, a minha menina foi toda revisada por mim, está impecável. O casaco, a calça de couro e as botas também estão ao lado. Levo também um GPS para mim orientar e conduzir-me por locais em que não conheço, vou fazer cerca de 1500 km no total, chegarei como sempre todo moído da viagem, mais o espirito feliz e realizado, e durante um bom tempo estarei rindo até para as moscas devido ao tal grau de satisfação.

http://motospaixaoeliberdade.anildomotta.com.br
Final de festa. O descanso de um guerreiro.


Amigos aproveitem, a vida é curta e o tempo é sorte, vivam, aventurem-se, comprem uma moto, e nos encontraremos para tomarmos um copo no meio da viagem. Um abraço e boas curvas!

Anildo Motta